Competências na era digital: desafios tangíveis para bibliotecários e educadores - Regina Célia Baptista Belluzzo



Aproveitando o período de saudações, programações e cumprimentos por mais um 12 de Março, um artigo de tema primordial: escrito com a mesma sutileza  com que leitores ainda vivem presos a paradigmas culturais do passado e pertinente  ao alertar para a construção  de novas concepções de um futuro mesmo que sem data inaugural para muitos.  

Foco sempre! 

Jorge Cativo

RESUMO

A partir de uma abordagem do mundo contemporâneo, dos novos paradigmas, da consciência planetária, da globalização, chegar-se-á à era digital, destacando-se os seus impactos sobre a valorização da informação e do conhecimento como bens de valor. Ressalta-se que a produção do conhecimento, na atualidade, é uma questão fundamental, tratando-se de uma teoria voltada à sua própria prática: ao mesmo tempo em que a fundamenta, subordina-se a ela, implicando necessariamente em mudanças no modo de pensar/atuar das pessoas. A educação também é parte desse cenário de mudanças e existem razões para que seja um referencial diferenciado na chamada  “sociedade em rede”, sendo uma situação emergente a mudança de postura no que diz respeito à migração da sua identidade como transmissora de informação e de cultura para uma condição de ensinar a aprender e a pensar, preparando pessoas para que prolonguem os benefícios da escola além da escola mesma, tornando funcionais os conhecimentos adquiridos e, sobretudo, para que saibam empregar o poder da inteligência na vida profissional e no seu cotidiano. Desse modo, enfatiza-se a importância da educação, sob enfoque de um novo paradigma conceitual e prático, voltada para a formação de cidadãos capazes de integrarem-se à era digital, cujo princípio fundamental acha-se embasado no desenvolvimento de competências para o uso da informação e na capacidade intelectual de transformá-la em conhecimento com uma inovadora condição de aprendizado contínuo e crescente. Tudo isso frente aos desafiadores avanços tecno-científicos dos últimos tempos. A desinformação nessa era é talvez a razão da existência de muitos problemas sociais, uma vez que atinge o ser humano em sua maior propriedade: a racionalidade. O conhecimento é, portanto, o fator competitivo entre as pessoas e as sociedade, sendo importante ressaltar que do seu uso racional e da sua aplicação é que conseguimos caminhar rumo à inovação e desenvolvimento social. A transferência e a aplicabilidade dos princípios da aprendizagem significativa de Ausubel e do uso dos mapas conceituais merecem lugar de destaque, emergindo a sua representatividade como facilitadores das condições de trabalho integrado entre bibliotecários e educadores, os quais são corresponsáveis pelo desenvolvimento das competências características dessa sociedade em mudança, destacando-se dentre elas a competência em informação, tema em discussão no contexto mundial. Essas reflexões apresentadas pretendem focalizar, em síntese, a era digital e suas implicações para os profissionais da informação e da educação, destacando-se a importância da informação e do conhecimento como balizadores do processo de inovação e desenvolvimento social e as principais questões relacionadas à competência em informação, tendo como enfoque a aprendizagem significativa. 

Palavras-chave: Competência em informação. Educadores. Bibliotecários. Era digital


0 comentários:

Visitas

Tecnologia do Blogger.