Intimado a devolver livro depois de sete meses em Arapoti


  Um adolescente de 17 anos de Arapoti, no norte do Paraná, foi intimado pela Polícia Civil a devolver um livro infantil que pegou emprestado na Biblioteca Pública em janeiro deste ano. Segundo a polícia, o menor tem até esta terça-feira (30) para efetuar a devolução, caso contrário, receberá outra intimação e poderá responder pelo crime de desobediência.

 O  pai do adolescente, Elias Pascoal Nunes, disse que a Biblioteca Pública não entrou em contato anteriormente com a família para alertar sobre o atraso e pedir a devolução. “O meu filho empresta livro na biblioteca a cada 15 dias, eles poderiam ter ligado que a gente levava o livro até lá, não precisava dessa atitude abusiva”, critica. Ainda de acordo com ele, a intimação com o nome do filho foi entregue para um pedreiro que fazia obras na casa da família e não nas mãos dele ou do próprio filho. “Isso revoltou ainda mais, deu a impressão que somos bandidos, que o meu filho fez algo de grave”, alega.



Nunes conta ainda que um representante da Secretaria Municipal de Educação ligou para ele nesta segunda-feira (29) e fez um convite para que ele comparecesse ao departamento para que pudesse explicar a situação. No entanto, ele recusou e afirmou que terça-feira irá até a Delegacia com o filho e o livro e depois fará uma reclamação na Procuradoria de Justiça. “Essa atitude abusiva desestimula a leitura e faz com que os adolescentes não queiram mais ir até a biblioteca emprestar livros”, finaliza.

A secretária municipal de Educação de Arapoti, Rosi Rogenski, explica que a funcionária da biblioteca tomou a atitude de ir até a delegacia e fazer um Boletim de Ocorrência sem consultar a Secretaria. “Hoje pela manhã ela me disse que ligou para a mãe do rapaz algumas vezes, mas como o livro não foi devolvido decidiu fazer o Boletim de Ocorrência”, explica.

 O G1  afirma que "[...] segundo a Secretaria Municipal de Educação, a bibliotecária adotou o procedimento que é estipulado pelo Manual da Biblioteca Cidadã. Em um dos tópicos, o manual indica que se a devolução de livros demorarem a acontecer, a biblioteca pode tomar atitudes mais sérias e duras, como a realização de um Boletim de Ocorrência, para não correr o risco de perder definitivamente a obra."


No entanto, a Secretária de Educação Rosi Rogenski Ferreira e o Prefeito Braz RizziRizzi,divulgaram nota na tarde de hoje (29) onde descrevem "que todas as medidas possíveis e cabíveis no sentido de corrigir a atitude tomada pela servidora, serão tomadas pela Administração com a maior brevidade". Vejam a nota na íntegra:
 
Questiona-se quais seriam essas medias se a própria  secretária disse que a bibliotecária havia tomado as providências previstas no Manual da Biblioteca Cidadã de Arapoti ?

Espera-se que em virtude da repercussão que o caso está tendo na mídia, a bibliotecária não acabe por ser punida por tal ato diante do procedimentos tomado, visto que a Secretária de Educação "parece" tentar se eximir de qualquer ligação com o fato, transferindo toda e qualquer responsabilidade por tal para a Bibliotecária.

Com a palavra, os bibliotecários com suas opiniões e o CRB9 se preciso.




Foco sempre!!!


Jorge Cativo


 









0 comentários:

Visitas

Tecnologia do Blogger.