Ana Carolina Sobral é a nova editora do Biblioteconomia Digital
Jorge Cativo 0 comentários


Esperem por publicações ligadas a Biblioteconomia Social! Com vocês, a mais nova colaboradora do Biblioteconomia Digital: Ana Carolina Sobral, representante do estado de Pernambuco

Carol esteve no BiblioCamp Recife no último dia 14 de maio nos presenteando com seu relato de experiência como Bibliotecária da Biblioteca Pública do COMPAZ e sua iniciativa com projetos de incentivo e mediação à leitura na Praça do Sebo na cidade de Recife.



Ela atua no COMPAZ - Centro Comunitário da Paz - inaugurado no aniversário de 479 anos da capital pernambucana e situado no Alto de Santa Terezinha. Batizado de Eduardo Campos é a primeira unidade a entrar em funcionamento e possui a biblioteca de nome Afrânio Godoy com duas salas de leitura e um espaço dedicado às aulas de robótica, a biblioteca foi idealizada com a colaboração de 1.500 crianças e jovens moradores do entorno, estando aberta de terça a domingo. 

Esperamos que os leitores conheçam e divulguem seu trabalho e a partir de agora tenhamos motivos para ler e aprender a partir de seus registros no BD.

Agora, preciso revelar ao público que nossa editora tem um sonho...  Disney já dizia que se você consegue ser capaz de sonhar algo, você também consegue ser capaz de realizar o que sonhou!  O sonho de Carol é ser entrevistada sabem onde? 


Assistam o vídeo a seguir e descubram!





Seja bem vinda Carol. E que todos possam vivenciar em seu cotidiano de ações, esse desejo que sei que tens de ir além, de inovar, de buscar parcerias e fomentar ideias que provoquem mudanças!

Para finalizar, a caçadora de bibliotecas Soraia Magalhães já pode agendar uma visita para nos mostrar detalhes do espaço, mobiliários e atividades realizadas no COMPAZ!!

Tenho certeza que são pouquíssimas as bibliotecárias que eu poderia anunciar hoje aqui com um olhar diferenciado e inovador sobre a nossa Biblioteconomia! 


Foco sempre!!

Jorge Cativo


Liliana Serra ministrará curso presencial de "E-books e Bibliotecas" em São Paulo
Jorge Cativo 0 comentários


Com propriedade para tratar do tema livro digital, Liliana Serra ministrará curso tratando de diversas questões relacionadas a bibliotecas e ao próprio profissional. Tratando de definições, tipos de conteudos, fornecedores, acesso, modelos de negócios e as relações com as atividades dos profissionais, o curso será realizado em novembro e pretende esclarecer as principais vantagens e desvantagens da implementação, uso e dos e-books em bibliotecas.

 Recomendo a todos !!

Foco sempre!

Jorge Cativo

Diálogos em Biblioteconomia serão transmitidos ao vivo da UCS
Jorge Cativo 0 comentários


Iniciativa louvável que deveria ser seguida por outras instituições do país...
Ação Intitulada "Diálogos em Biblioteconomia: experiências teórico-práticas de futuros bibliotecários" terá transmissão do Encontro Presencial do curso de Biblioteconomia EaD da Universidade de Caxias do Sul com a participação de alunos da disciplina Unidade de informação, ministrada pelo prof. João Paulo Borges da Silveira.

No evento ao vivo serão apresentados os trabalhos:

"O processo de abertura do acervo na biblioteca universitária Eldo Ivo Klain da FACCAT - Faculdade Integrada de Taquara", de autoria de Daniela Schafer, Leila Koch e Simone Cortellini

"Entre chamas e lágrimas: a realidade de uma biblioteca", de autoria de Sandra Daniele Haugg Fernandes

"Os desafios da biblioteca escolar em transforma-se em um espaço de formação de leitores", de autoria de Clarissa Afonso da Silveira

"Biblioteca do Centro de Documentação do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná", de autoria de Patrícia de Souza dos Santos

Empreendedorismo na Biblioteconomia é tema do encontro marcado com Daniela Spudeit
Jorge Cativo 0 comentários




Uma iniciativa do Mural Interativo do Bibliotecário, administrado por Fabíola Bezerra, dará a oportunidade de bibliotecários e profissionais interessados do Brasil inteiro, interagirem sobre o tema empreendedorismo na Biblioteconomia com a professora Daniela Spudeit ao vivo das 19 às 21 horas por meio da página do mural nas redes sociais.


Daniela Spudeit é pesquisadora e professora no curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) na área de gestão de unidades de informação. Atualmente exerce o cargo de Coordenadora do curso de Licenciatura em Biblioteconomia na mesma universidade. Possui mestrado em Ciência da Informação (UFSC), especialização em Gestão de Unidades de Informação (UDESC), especialização em Didática do Ensino Superior (SENAC), bacharelado em Biblioteconomia (UFSC) e licenciatura em Pedagogia (UDESC). Áreas de interesse: Gestão de unidades de informação, empreendedorismo, gestão da qualidade, de processos e projetos em Biblioteconomia, planejamento e marketing, competência em informação, bibliotecas escolares e universitárias, atuação, ensino e formação em Biblioteconomia.


Conto com a presença de todos e aproveito para recomendar que visitem o site EmpreendeBiblio, fruto do projeto com a participação dos alunos da UNIRIO que surgiu como uma proposta de ser um espaço com o objetivo de disseminar o conceito e boas práticas do empreendedorismo na Biblioteconomia para enfatizar a importância do bibliotecário antever novas oportunidades de negócios na área de informação frente às demandas do mercado e da sociedade.

Para finalziar, um trabalho sobre o tema intitulado, A ATUAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO EM EMPRESAS DE COMÉRCIO ELETRÔNICO, apresentado no CBBD 2015, tratando do e-commerce como novo campo de atuação profissional para bibliotecários na atual sociedade que possui a internet como a representante mais importante das novas tecnologias.


Foco sempre e até logo mais no Encontro Marcado com Daniela Spudeit, promovido pelo Mural Interativo do Bibliotecário!








Formação e desenvolvimento de coleções, bibliotecas e as tecnologias
Jorge Cativo 0 comentários


Entendido como um processo, a FDC é o crescimento sistemático e planejado dos recursos Informacionais, independente de seus formatos, com base em critérios de seleção consistentes, implicando na formação e desenvolvimento das coleções que irão apoiar os objetivos, programas, serviços e atender às necessidades da biblioteca e da instituição mantenedora (BOMMER, CHOBBA, 1982 apud KLAES, 1991).
Mencionar a formação e desenvolvimento de coleções como disciplina  que pretenda subsidiar conhecimentos, conteúdos teóricos e práticos e fontes de informação aos discentes de Biblioteconomia na atualidade, significa repensar alguns aspectos, processos e suas características, visando sempre entender do status das coleções existentes e seus usos, baseando-se em padrões de qualidades externos que privilegiem não apenas o perfil, as demandas e as necessidades dos seus usuários reais e potenciais.
Esse cenário exige lembrar também dos avanços proporcionados pelas tecnologias, afetando e impulsionando o mundo das publicações em que os profissionais passaram a ter o desafio de compreender esses aspectos e processos, não apenas com visão limitada a espaço e quantidade, mas na qualidade, diversidade de formatos e suportes e a necessidade contínua de avaliação que permita corrigir e adequar os conteúdos que a biblioteca dispõe.
Dos aspectos, consideremos a influência
a)    da tipologia da biblioteca e a cultura organizacional da instituição que se pretenda formar ou desenvolver a coleção, bem como a existência prévia ou não de instrumentos – políticas, manuais, relatórios, fluxogramas - que formalizam e tracem diretrizes para esse fim;
b)    os usuários e suas demandas a partir de seu comportamento e das fontes que necessita;
c)    A diversidade das coleções, suas função e características, sempre lembrando das mudanças trazidas a partir da necessidade de inclusão e implementar formatos e suportes de conteúdos digitais. Muitas instituições ainda limitam os seus processos e operações ao lidando com agentes tradicionais de oferta e disponibilidade do acervo em um espaço limitado;

Dos processos, a seleção aquisição e avaliação se intercalam a partir da existência ou não de um acervo e da necessidade de avaliá-lo constantemente a partir de critérios definidos que visem sempre:
Na seleção, a adoção de critérios é fundamental para a qualidade dos conteúdos. Além disso, o que seria apenas uma tarefa intelectual de escolha de conteúdos em materiais impressos, passou a envolver escolhas que considerasse disponibilidade de recursos financeiros, conhecimento de legislação e políticas, contatos com bases de dados em meio eletrônico, editoras que fornecem amostras de obras eletrônicas e a problemática dos diversos conteúdos disponíveis sem a verificação de qualidade e que não violem a propriedade intelectual de quem os produziu.  

Vergueiro (1995) descreve que “[...] a seleção é um momento de decisão [...]” entendido como uma atividade intelectual de escolha dos conteúdos que serão incorporados às diversas coleções do acervo, sempre respeitando os critérios definidos em políticas existentes, missão e objetivos institucionais.

Selecionar também passou a envolver profissionais aptos a lidar com instrumentos e recursos tecnológicos, exigindo conhecimento em diversas áreas, com noções do ramo editorial, das limitações orçamentárias das bibliotecas, da quantidade e qualidade das coleções, dos usuários, da necessidade de cooperação entre redes de bibliotecas e principalmente, trouxe uma reflexão e desafio acerca do papel democrático da biblioteca em relação à realidade da era das publicações eletrônicas.   
Em se tratando do processo de seleção em bibliotecas, Vergueiro (2010), apresenta critérios associados ao conteúdo dos documentos, a adequação ao usuário e aos aspetos adicionais dos documentos.

Quanto ao conteúdo dos documentos, os critérios são:
a)  autoridade: relacionada a reputação do autor;
b)  precisão: relacionada a exatidão e rigor das informações existentes na publicação;
c)  imparcialidade: assuntos apresentados de maneira justa, sem favoritismos ou julgamentos pessoais;
d)  atualidade: determinação do tempo em que o conteúdo das obras se desatualizam, principalmente na diferença entre obras novas ou que apresentam novas edições.
e)  cobertura/tratamento:  refere-se a forma com o assunto é tratado, tendo o texto detalhes limitados ou amplos sobre um assunto 

Quanto à adequação do usuário são:
a)  conveniência: adequação visual e de vocabulário a utilização pretendida, relacionados ao lado intelectual do usuários e a sua idade;
b)  idioma: diz respeito a língua do documento e se a mesma tornará acessível o seu conteúdo aos usuários da coleção; 
c)  relevância/interesse: diz respeito ao conteúdo ter alguma utilidade ou não ao usuário, despertando sua curiosidade;
d)  estilo:  apropriação do estilo de escrita dos autores em relação aos usuários, podendo essa, afastar ou aproximar determinado público. Nesse caso é verificada a adequação dos estilos a partir da linguagem utilizada pelos autores.   

Quanto aos aspectos adicionais do documento:
a)  características físicas: escolha do caracteres adequados referentes a obra, como fonte, sua boa legibilidade, tamanho, resistência e durabilidade da encadernação, bem como a qualidade do papel utilizado; 
b)  aspectos especiais: analisa se as obras incluem informações extras como bibliografia, apêndices, material adicional, notas e índices;
c)  contribuição potencial: obras que podem enriquecer o acervo, complementando alguma já existente ou que possa ter um uso futuro.  
d)  custo: fatores que possam afetar o custo total da obra para a instituição, seja com a possibilidade de obter exemplares mais baratos. Ressaltando que custo está associado mais ao processo de aquisição e disponibilidade de recursos financeiros do que a um critério único da seleção.

Já em meio eletrônico, existem algumas diferenças propostas na literatura quanto aos critérios:
a)    questões quanto ao conteúdo: igualmente relacionados aos aspectos de materiais impressos, quando o conteúdo deve ser pertinente e adequado a missão e objetivos institucionais e ao público alvo a que a biblioteca deve atender.
b)    questões quanto ao acesso: diz respeito a facilidade com que documentos podem ser acessados por meio de mecanismos automatizados; aspectos da acessibilidade do material em rede e da compatibilidade entre o sistema de informatização e o material eletrônico;  
c)    questões quanto ao suporte: existência de elementos complementares ao documento eletrônico que tragam orientações, informações, treinamentos e manuais que auxiliem na familiarização do documento eletrônico. 
d)    questões quanto ao custo: despesas relativas ao valor da compra, atualização, renovações nos casos de periódicos em meio eletrônico e manutenção, principalmente se o uso for por meio de redes de computadores.  
Ainda sobre a seleção, é importante ressaltar a relação entre o processo de seleção e a censura, palavra que significa repressão, proibição, controle e fiscalização e que nesse cenário implica na relação do direito de acesso X bibliotecário X pressões alheias a sua vontade. Somente a partir do surgimento da imprensa, permitiu que as camadas menos favorecidas da sociedade tivessem acesso a informação, resultado na democratização do saber.

Na aquisição, importante frisar o surgimento de novos fornecedores e agentes do mercado editorial e livreiro – editores, livreiros, distribuidores, agregadores de conteudo, livrarias digitais  - que passam a intermediar o processo se comercialização e interação com os bibliotecários e as bibliotecas. 

Se antes o processo de seleção de conteúdos e aquisição estavam condicionados aos diversos trâmites de uma editora responsável em comercializar e respeitar os direitos intelectuais do autor, hoje com o avanço tecnológico e o surgimento dos livros digitais, exigem a discussão acerca do papel intermediário da biblioteca e do bibliotecário em selecionar os formatos eletrônicos, a noção de diferentes  fornecedores e suas plataformas proprietárias, modalidades de aquisição que vão desde assinaturas, aquisições perpétuas e paper view.

A avaliação tem como objetivo conhecer a medida da adequação das coleções em relação à missão e objetivos da instituição onde a biblioteca está inserida. Trata-se de uma ação que pretende identificar, por exemplo, a média de duplicação (exemplar/título), o grau de distribuição ou concentração: assuntos, idiomas e idades/título e o estado físico das obras.
Cabe lembrar que é na avaliação que ocorrem o desbastamento e o descarte de obras, seja pela obsolescência, excesso de exemplares, inadequação do conteúdo, duplicatas desnecessárias e desgastes físicos decorrentes do uso, vandalismo e ações do tempo (água, luz, calor e umidade) ou outros fatores.


Foco sempre!


Jorge Cativo


Pós-graduado em Administração e Gestão do Conhecimento (2014). Pós-graduando em Docência do Ensino Superior (2015).  Graduado em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Amazonas (2013). Tecnólogo em Processamento de Dados pelo Instituto de Tecnologia da Amazônia (2001). Bibliotecário atuando no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Aprovado em 18 concursos públicos nas áreas de Informática e Biblioteconomia. Atua como parecerista na avaliação de trabalhos em eventos ligados à área. É consultor e especialista reconhecido no software Biblivre, colaborando em suas correções de versões. Tem experiência em criação de mapas mentais temáticos para estudos em concursos públicos. É tutor em cursos preparatórios para concursos públicos na modalidade EAD na área de Biblioteconomia. 

VIII Seminário Brasileiro de Bibliotecas das Instituições da Rede Federal EPCT: inscrições abertas para demais profissionais e estudantes de graduação
Jorge Cativo 0 comentários


Inscrições disponíveis até 30 de abril para profissionais de outras instituições e estudantes de graduação em Biblioteconomia que desejem participar do VIII Seminário Brasileiro de Bibliotecas das Instituições da Rede Federal EPCT (SBBI).
O Seminário, ao longo da sua história, vem proporcionando a capacitação dos profissionais bibliotecários que atuam nas Instituições Federais de Ensino pertencentes à RFEPCT, discutindo temas relevantes relacionados à Biblioteconomia e Documentação, assim como as condições das práticas destes em seus ambientes de trabalho, visando à melhoria dos serviços prestados pelas unidades de informação. O evento tem propiciado o encontro de profissionais da informação dos diversos Estados brasileiros. Os temas debatidos contribuirão para despertar novas perspectivas quanto à atuação destes profissionais em suas bibliotecas.


Na programação desta edição serão oferecidas conferências, oficinas e minicursos, feira de serviços e produtos para Bibliotecas, comunicações científicas e apresentações culturais. Visamos aproximar os bibliotecários de todo o território nacional para promover uma (re)leitura e discussão sobre os temas concernentes a Biblioteconomia e a sua prática.







Conferências

Educação Profissional, Científica e Tecnológica: a mediação social e educativa do bibliotecário - Fátima Portela Cysne  - UNILAB.

O uso da bibliometria na gestão estratégica de bibliotecas universitárias - Prof.Dr. Roniberto Morato do Amaral (UFSCar).

Biblioteca e estruturação social: matriz existencial e responsabilidades técnicas, políticas e sociais -  Prof. Dr. Raimundo Martins de Lima (UFAM).
Criação de Repositórios Institucionais e a produção científica - Profª Dra. Bianca Amaro de Melo (IBICT).
Repositórios Institucionais -  Emanuelle Tourino (UTFPR)

Oficinas 
Contação de Histórias - Felícia Fleck
Blogs e Redes Sociais como instrumentos de visibilidade e comunicação em Bibliotecas - Jorge Cativo (INPA)
Elaboração de projetos e captação de recursos - Sandra Rodrigues (Relacionarte)
Redes Sociais e ferramentas de armazenamento em nuvem  - David Lima  (IFAM)

Minicurso
 Introdução aos ebooks para Bibliotecas - Luciana Oliveira 

Com a temática “O papel social e educativo da Biblioteca e do bibliotecário no contexto da Educação Profissional, Científica e Tecnológica”, o evento será realizado no período de 06 a 08 de maio de 2015, no Hotel Caesar Business na cidade de Manaus, AM.
Confira as taxas:
Bibliotecários (demais instituições): R$ 160,00
Estudantes de graduação em Biblioteconomia: R$ 80,00 (mediante envio de documento comprobatório)
As Inscrições são gratuitas para Profissionais da Rede Federal EPCT
Mais Informações: cristiane_sinimbu@ifam.edu.br
Manaus espera por vocês!
Foco sempre!


Pós-graduando em Administração e Gestão do Conhecimento (2014). Graduado em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Amazonas (2013). Tecnólogo em Processamento de Dados pelo Instituto de Tecnologia da Amazônia (2001). Bibliotecário atuando no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Aprovado em 16 concursos públicos nas áreas de Informática e Biblioteconomia. Atua como parecerista na avaliação de trabalhos em eventos ligados à área. É consultor e especialista reconhecido no software Biblivre, colaborando em suas correções de versões. Tem experiência em criação de mapas mentais temáticos para estudos em concursos públicos. É tutor em cursos preparatórios para concursos públicos na modalidade EAD na área de Biblioteconomia

Vencedoras da Promoção: livro autografado de Liliana Giusti Serra
Jorge Cativo 0 comentários


As duas vencedoras da promoção que irão receber em casa um livro de Liliana Giusti Serra "Livro digital e bibliotecas" são:

Djalda Muniz de São Luís  - Maranhão

Rejane Sales de Lima - Porto Velho - Rondônia

Entrem no site www.livrosdebiblio.com.br e façam cadastro que a livrosdebiblio encaminhará sem nenhum custo o livro autografado pela autora para o endereço que indicarem.

A livros de biblio e o BD agradecem a cada um dos 220 usuários que compartilharam a postagem e parabenizam as duas vencedoras.

Foco sempre!!!

Jorge Cativo

Biblioteca Municipal de São José do Rio Preto já utiliza plataforma para empréstimos de e-books
Jorge Cativo 0 comentários



   A Secretaria de Cultura de São José do Rio Preto (SP) está com inscrições abertas para quem desejar participar do projeto Biblioteca Digital “Árvore de Livros”, na biblioteca pública da cidade. São mil títulos de e-books disponíveis para leitura, que podem ser acessados após cadastro na biblioteca municipal.

São obras contemporâneas e clássicas de diversos gêneros da literatura, em especial os títulos para utilização como leitura de apoio em bibliotecas, escolas e empresas. Para obter empréstimo é preciso fazer inscrição na biblioteca e criar o login e sua respectiva senha a partir da primeira conexão.                                                


A Biblioteca Digital da Árvore funciona com o sistema de streaming. O usuário não precisa baixar o arquivo do e-book em seu dispositivo de leitura, bastando apenas carregá-lo na tela. Esse sistema oferece maior segurança contra atos de pirataria.

Usuários cadastrados podem emprestar e ler, de forma ilimitada, qualquer e-book disponível na biblioteca digital. No entanto, para evitar que os e-books sejam reservados e permaneçam sem uso na estante do usuário – impedindo, no caso, que um outro usuário leia determinado e-book –, a Árvore permite que o usuário pegue emprestados, simultaneamente, até três e-books.

Para empréstimo de um novo e-book, o usuário precisará devolver um dos três que está em sua estante pessoal. O empréstimo é por duas semanas. Ao fim desse período, o e-book sai da estante individual do usuário e volta para o acervo geral da Árvore. Para maiores informações basta acessar o portal do projeto ou entrar em contato com a Biblioteca Municipal: (17) 3202-2316.

Fonte: G1

Novos modelos de negócios na era digital
Jorge Cativo 0 comentários




O livro " Novos modelos de negócios na era digital ", elaborado pela equipe Dosdoce.com e patrocinado pela CEDAR , está disponível para download em três formatos no BD e faz uma análise dos diversos modelos de negócios na internet e os agentes neles envolvidos. 

Atualmente, as tecnologias não apenas modificaram as formas de produção, tratamento e recuperação da informação. No âmbito das bibliotecas, se considerarmos a inclusão de e-books e a manutenção de uma de suas funções de guarda e preservação do conhecimento humano com o intuito de disseminação, precisaremos discutir diversas questões. 
O volume de informações produzidas cresce em meio eletrônico e com ela as questões associadas ao atual papel das bibliotecas vêm se modificando e precisam ser repensadas e adequadas a esse novo cenário. 
Os novos padrões descritivos surgem  adaptando-se à necessidade de inclusão de novos tipos de materiais sem vinculá-los ao seu suporte, sem mais abreviaturas e voltando-se para os usuários, removendo assim, regras de um padrão descritivo convencional americano adotado em quase todas as bibliotecas. 
A formação de coleções e sua gestão, se consideradas as  novas formas de aquisição (paper view, assinatura, aquisição perpétua etc.), seus altos custos e quase nunca implementados em plataformas proprietárias, assim como a necessidade de um modelo de negócio adequado com a realidade das bibliotecas, exigirá competência, capacidade de uma escolha sensata e conhecimentos sobre o assunto. 
O empréstimo digital será uma realidade preocupante se considerado o receio de fornecedores em perder sua lucratividade exceto se bibliotecas só acessem edições antigas ou em que as vendas já tenham dado a rentabilidade necessária. Significa dizer que edições inéditas não farão parte das aquisições perpétuas das bibliotecas? Será fator de risco então, fornecer por meio de aquisição perpétua certos títulos a bibliotecas? Se for, quais seriam suas causas? Direitos Autorais? Pirataria? Falta de uma plataforma própria e segura para o gerenciamento e operacionalização dos empréstimos digitais? Falta de recursos financeiros para essa gestão, se analisados os altos custos para essa implementação? Falta de recursos humanos envolvidos e com habilidades necessárias para negociação e gestão? Limitados estarão usuários e bibliotecas a assinaturas, nas quais a composição da coleção é feita não mais por bibliotecários? E se houver a necessidade for unificar o atual catálogo a um OPAC reunindo o que já existe com os livros digitais que se incorporam? A migração a partir dos metadados é compatível e possível? São muitas questões a serem analisadas. 
Usuários, estes que de gerações Y E @ advindas das últimas décadas, que lidam com o instantâneo, contectados integralmente, interagem e acreditam que o melhor amigo de suas buscas é o tal: google. Sim, os usuários precisarão ou deverão reaprender a perceber o papel das bibliotecas com seus repositórios e suas plataformas com interfaces amigáveis ou não. E de quem será esse papel na Sociedade da Informação? 
Quanto aos profissionais, precisamos quebrar paradigmas que ainda mantêm algumas bibliotecas como um intocável museu, onde o usuários presenciais são impedidos de circularem por acrvos fechados. Bibliotecas não são locais de desserviço e censura. Que razão há de ser um espaço em pleno século XXI que ainda tem um acervo fechado? Seria conveniente associar usuários e bibliotecas há um tempo de clandestinidade e clandestinos viajantes em porões de navios? 

Aos profissionais, caberão uma reflexão maior e a responsabilidade de repensarem suas práticas, saírem de sua zona de conforto e promoverem as tais mudanças sem ressaltar tanto as dificuldades a serem enfrentadas. 

A era digital chega propondo reflexões sobre o papel dos profissionais e das bibliotecas,entre elas os novos padrões descritivos, um novo comportamento de usuários, a necessidade da formação de um acervo com a inclusão de livros digitais com suas plataformas e a questão do DRM, um novo espaço também virtual, comunicável e interativo em interfaces amigáveis e a menos que não desejemos consolidar um novo papel das bibliotecas e dos novos rumos e tendências profissionais: os avanços propostos pelas tecnologias só existirão nas páginas impressas dos livros!


Foco sempre!


Formato ePub (Apple, Android, Google Play, etc.)

Formato Mobi (Amazon Kindle)


Pós-graduando em Administração e Gestão do Conhecimento (2014). Graduado em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Amazonas (2013). Tecnólogo em Processamento de Dados pelo Instituto de Tecnologia da Amazônia (2001). Bibliotecário atuando no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Aprovado em 16 concursos públicos nas áreas de Informática e Biblioteconomia. Atua como parecerista na avaliação de trabalhos em eventos ligados à área. É consultor e especialista reconhecido no software Biblivre, colaborando em suas correções de versões. Tem experiência em criação de mapas mentais temáticos para estudos em concursos públicos. É tutor em cursos preparatórios para concursos públicos na modalidade EAD na área de Biblioteconomia. 


Quer ganhar "Livro digital e Bibliotecas" autografado por Liliana Giusti Serra?
Jorge Cativo 0 comentários


A partir de hoje, inicia-se a promoção que vai presentear dois usuários do Biblioteconomia Digital com a obra "Livrodigital e bibliotecasautografada pela autora Liliana Giusti Serra. A promoção é uma parceria do BD com livraria virtual livrosdebiblio, especializada em livros da área de Biblioteconomia, Arquivologia e Ciência da Informação. 

O livro de Lililiana Giusti Serra já teve matéria no BD intitulada:  
A autora é Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação na Escola de Comunicações e Artes na Universidade de São Paulo (ECA/USP). Recomendação da banca de qualificação para doutorado direto. Especialista em Gerência de Sistemas (2008) pela Fundação Escola Sociologia e Política de São Paulo (FaBCI/FESP) e graduação em Biblioteconomia (1992) pela mesma instituição. Profissional da informação da Prima, desenvolvedora dos sistemas SophiA Biblioteca e SophiA Acervo. Consultora em Ciência da Informação. Pesquisas na área de conteúdo digital licenciado (e-books, livros digitais, livros eletrônicos) Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em automação de bibliotecas, gestão de acervos, gerenciamento de documentação eletrônica, planejamento de bibliotecas digitais, e-books e metadados (MARC, Dublin Core).

Como participar?


I - Curtir a página da livrosdebiblio:

Participar

II - Ser membro do Grupo Biblioteconomia Digital no Facebook;

III - Ter o maior número de compartilhamentos da POSTAGEM OFICIAL DA PROMOÇÃO fixada na página do Biblioteconomia Digital até o dia do Bibliotecário, 12 de Março de 2015, quando será anunciado o(a) vencedor(a) da promoção.  Compartilhem inúmeras vezes com amigos diferentes pois será considerado o total de compartilhamentos para declarar o(a) vencedor(a)!



INFORMAÇÕES


Período da promoção: A promoção será encerrada no dia 11 de Março de 2015 às 23:59.   
Premiação: O vencedor ou vencedora, receberá a obra autografada em casa via frete grátis e sem nenhum custo, como oferta da livraria virtual livrosdebiblio.             


Então vamos curtir e compartilhar e no dia 11 de Março de 2015 anunciaremos o vencedor ou vencedora no blog e na página do Biblioteconomia Digital. 

Precisando daquele livro da área e não sabe onde encontrar? Visitem e a www.livrosdebiblio.com.br. Comprar e receber com frete grátis nunca foi tão simples e rápido ! 





Pós-graduando em Administração e Gestão do Conhecimento (2014). Graduado em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Amazonas (2013). Tecnólogo em Processamento de Dados pelo Instituto de Tecnologia da Amazônia (2001). Bibliotecário atuando no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Colaborador de versões do software livre de informatização de bibliotecas Biblivre. Tem experiência em criação de mapas mentais temáticos para estudos em concursos públicos. Desenvolvimento de blogs, websites e projetos de automação de bibliotecas. É tutor em cursos preparatórios para concursos públicos na modalidade EAD na área de Biblioteconomia. Tem interesse em temas como: Automação e tecnologias aplicáveis em bibliotecas; Softwares de gerenciamento de bibliotecas; Biblioteca 2.0 e livros digitais; Inteligência Competitiva e Gestão do Conhecimento.


Liliana Serra trata temas pertinentes na obra "Livro digital e bibliotecas"
Jorge Cativo 0 comentários


Precisei comentar e recomendar publicamente a obra "Livro digital e bibliotecas" de Liliana Serra por sua temática ser lançada em uma época na qual desafios e importantes mudanças tem sido necessárias nos ambientes informacionais, no lidar com seus usuários e agentes que comercializam e distribuem suportes digitais e até mesmo nas práticas profissionais que nesse âmbito estão inseridas. 


 Liliana Giusti Serra é Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação na Escola de Comunicações e Artes na Universidade de São Paulo (ECA/USP). Recomendação da banca de qualificação para doutorado direto. Especialista em Gerência de Sistemas (2008) pela Fundação Escola Sociologia e Política de São Paulo (FaBCI/FESP) e graduação em Biblioteconomia (1992) pela mesma instituição. Profissional da informação da Prima, desenvolvedora dos sistemas SophiA Biblioteca e SophiA Acervo. Consultora em Ciência da Informação. Pesquisas na área de conteúdo digital licenciado (e-books, livros digitais, livros eletrônicos) Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em automação de bibliotecas, gestão de acervos, gerenciamento de documentação eletrônica, planejamento de bibliotecas digitais, e-books e metadados (MARC, Dublin Core).

A autora é clara, objetiva sublime em expor a realidade de um cenário tecnológico nas bibliotecas, abordando os desafios existentes a partir de avanços que trouxeram novos comportamentos e demandas dos usuários; criaram novas políticas e relações entre editores e bibliotecas para aquisição e disponibilidade de materiais em formatos digitais; moldaram um novo universo espacial virtual de armazenamento de informações não mais tratadas tecnicamente com a preocupação somente na descrição e classificação de suportes impressos. 

Por essa reflexão sobre mudanças ainda gerar desconforto e desprezo por tantos profissionais em tantos espaços informacionais, o livro da autora é indiscutivelmente obrigatório tanto em formato impresso como digital. 


Não bastasse o presentear de suas diversas fontes de pesquisa tratando sobre o tema, Serra(2014) desenvolve múltiplos olhares sobre agentes e competências necessárias para alertar sobre novas demandas de usuários virtuais. Reflete sobre o futuro sem ignorar o presente, tratando da desmaterialização do livro, das novas formas de descrição baseadas não apenas em práticas tecnicistas de descrição e classificação de suportes. Evidencia magistralmente uma realidade a ser alterada, modificada, percebida não como a mesma das décadas de paradigmas do acervo fechado, de uma memória institucional onde a biblioteca simbolizava restrições e um lugar de castigo.


Essa percepção não questiona tem intenção de elucidar a permanência ou o fim dos suportes impressos, nem a permanência ou não dos usuários presenciais que buscam por conhecimento e acolhimento mediante um cotidiano conturbado onde o lazer, a diversão e principalmente o acesso aberto de um acervo que os atualize é primordial. Acervo fechado é sinônimo de desserviço.


Quanto aos profissionais, leia-se que é preciso compreender o sentido e significado de competência informacional conforme já apresentou Dani Spudeit em postagem no BD: ênfase na autonomização, orientação e foco nos usuários. O estudo de demandas e a interação devem reafirmar um novo papel das bibliotecas ainda construídas em prédios, onde a iluminação e climatização abrigam grande espaço físico de um acervo destinado a suportes com uma função social que em muitos espaços ora constrange, ora respeita e converge para a privacidade dos usuários . 


Por fim, a obra exemplifica inúmeras práticas que impactam todos os agentes envolvidos nos espaços que lidam com informação. Um futuro se aproxima e com ele as novas gerações y e @ de usuários anseiam por tecnologias, uma comunicação em uma linguagem familiar e um atendimento que evidencie que em bibliotecas, suas demandas podem ser ofertadas e não são oriundas de buscadores que iludem com sua velocidade em detrimento da idoneidade e pertinência que se desejem. 


Minha indicação é para que o livro seja lido e relido, adquirido em todos os seus formatos, expressões, manifestações e  itens que surgirem, afinal os desafios são imensos por isso farei uma breve reflexão sobre alguns aspectos tratados no livro: 

Sabe-se que novos modelos conceituais de descrição com foco no usuário. Além disso, criam-se universos de ontologias e metadados capazes de tornar dados interoperáveis para empréstimo de livros digitais via Opacs. O RDA e suas novas formas de descrição em suportes digitais, agora sem abreviações, sem a contagem limitada de uma tríade de décadas dos "até três autores", dão a autonomia ao profissional para a construção e representação por quantos forem os pontos de acesso necessários.  

Os ambientes informacionais mudaram e não necessariamente possuem barreiras físicas, horário de funcionamento, espaços entre prateleiras a uma distância x acondicionando quantitativo estimado de obras impressas e carimbadas. E se pensarmos que essas obras estão sujeitas aos agentes químicos, físicos e biológicos até que sejam emprestadas com seu peso e formato por um usuário presencial que nem sempre a recupera no acervo ou a encontra após seu extravio?  


Outrossim, novos usuários que antes buscavam comodidade e menos restrições e censuras no uso de espaço físico de bibliotecas tradicionais, aumentam gradativamente em ambientes também virtuais que no máximo agora deles exige login e senha em Opacs, repositórios e bibliotecas digitais.   


Quanto aos livros e sua desmaterialização, quantos já estão armazenados repositórios sendo acessados de forma perpétua em múltiplas edições gerenciadas em plataformas desenvolvidas por redes de bibliotecas, rompendo barreiras impostas pelos distribuidores a um menor custo possível sem infringir direitos autorais e as proteções agora representadas por DRMs?    


Já os agentes, editores, fornecedores e livreiros de um comércio cada vez mais lucrativo em suas plataformas próprias, extensões e tão somente visualizações de edições comercializadas em novas modalidades de aquisição: que sejam menos capitalistas na oferta de modelos de negócios de desmaterialização dos livros e mais flexíveis nas demandas de usuários e bibliotecas com seus custos de aquisições sempre tendendo ou para assinaturas ou para e pay-per-view em suas negocioações.  


Quanto aos profissionais, que consigam ter uma nova percepção sobre seu papel em uma nova realidade e os seus desafios de adequações e mudanças envolvendo todos esses agentes: RDA, FRAD, FRBR, ontologias,  disseminação seletiva, marketing digital, Opacs, Repositórios, downloads, modelos de negócios,  DRM, plataformas proprietárias, extensões AZW, ePUB E PDF e porque não seus leitores e um carregador sendo disponibilizado em uma biblioteca? Kindle ou Lev? Ler em uma cafeteria dentro da própria biblioteca? Espaços livres de cadeados e guarda-volumes sem a depreciação do acervo? Um dia quem sabe chek-in e check-out sendo retratados em indicadores gerados pela quantidade de acessos simultâneos? 





Finalizo com o desejo de que todos comprem o livro: impresso ou digital ! Grato pela produção inestimável da bibliotecária Liliana Serra sobre o tema. 







Pós-graduando em Administração e Gestão do Conhecimento (2014). Graduado em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Amazonas (2013). Tecnólogo em Processamento de Dados pelo Instituto de Tecnologia da Amazônia (2001). Bibliotecário atuando no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Colaborador de versões do software livre de informatização de bibliotecas Biblivre. Tem experiência em criação de mapas mentais temáticos para estudos em concursos públicos. Desenvolvimento de blogs, websites e projetos de automação de bibliotecas. É tutor em cursos preparatórios para concursos públicos na modalidade EAD na área de Biblioteconomia. Tem interesse em temas como: Automação e tecnologias aplicáveis em bibliotecas; Softwares de gerenciamento de bibliotecas; Biblioteca 2.0 e livros digitais; Inteligência Competitiva e Gestão do Conhecimento.

Manaus sediará Seminário Brasileiro de Bibliotecas das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Jorge Cativo 0 comentários


O Seminário Brasileiro de Bibliotecas das Instituições da Rede Federal EPCT (SBBI), ao longo da sua história, vem proporcionando a capacitação dos profissionais bibliotecários que atuam nas Instituições Federais de Ensino pertencentes à RFEPCT, discutindo temas relevantes relacionados à Biblioteconomia e Documentação, assim como as condições das práticas destes em seus ambientes de trabalho, visando à melhoria dos serviços prestados pelas unidades de informação. 

O evento tem propiciado o encontro de profissionais da informação dos diversos Estados brasileiros. Os temas debatidos contribuirão para despertar novas perspectivas quanto à atuação destes profissionais em suas bibliotecas.

Na edição a ser realizada em Manaus, serão oferecidas conferências, oficinas e minicurso, feira de serviços e produtos para Bibliotecas, comunicações científicas e apresentações culturais. Visamos aproximar os bibliotecários de todo o território nacional para promover uma (re)leitura e discussão sobre os temas concernentes a Biblioteconomia e a sua prática.



O evento tem como temática “O papel social e educativo da Biblioteca e do bibliotecário no contexto da Educação Profissional, Científica e Tecnológica” e será realizado no período de 06 a 08 de maio de 2015 na cidade de Manaus, AM.



Conferencistas:

MSc. Caroline da Rosa Ferreira Becker

Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina; Especialista em Educação: Leitura, Letramento e Literatura; Bibliotecária do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - Campus Rio do Sul; e professora de Pós-Graduações. Ministra cursos, oficinas e palestras sobre: Gestão de Bibliotecas, O Papel Social do Bibliotecário, A Integração Professor - Biblioteca, Formação do Leitor. Conselheira do Conselho Regional de Biblioteconomia de Santa Catarina (CRB14) e integrante do Grupo de Bibliotecários da Área Escolar de Santa Catarina (GBAESC). Membro Titular da Região Sul na Comissão Brasileira de Bibliotecas das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica - CBBI Gestão 2014-2016.

MSc. Emauelle Torino


Mestre em Gestão da Informação, pela Universidade Estadual de Londrina (2010), Especialista em Gestão Contemporânea de Recursos Humanos, pela Universidade Estadual de Londrina (2005), Bacharel em Biblioteconomia, opção Informação e Gerência, pela Universidade Estadual de Londrina (2003). Atua na Seção de Atendimento ao Usuário do Departamento de Biblioteca da da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) - Campus Curitiba, coordenadora do Comitê Gestor do Portal de Informação em Acesso Aberto da UTFPR (PIAA), do Repositório Institucional da UTFPR (RIUT) e do Repositório de Outras Coleções Abertas (ROCA), consultora ad hoc das revistas: Perspectivas Contemporâneas e SaBios-Revista de Saúde e Biologia. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Gerência de Unidades de Informação , atua principalmente nos seguintes temas: gestão da informação e do conhecimento, aprendizagem organizacional, gestão do conhecimento científico, conhecimento científico, iniciação científica, periódicos científicos e pesquisa.

MSc. Marouva Fallgatter Faqueti

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1982) e mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2002). Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC. Atualmente é bibliotecária - documentalista do Instituto Federal Catarinense - Campus Camboriú (SC) desempenhando a função de Coordenadora do Sistema Integrado de Bibliotecas - SIBI-IFC. Presidente da Comissão Brasileira de Bibliotecas da Rede de Educação Profissional Científica e Tecnológica - CBBI Gestão 2014-2016. Tem experiência nas áreas de Gestão de Bibliotecas, normalização de trabalhos acadêmicos e Iniciação Científica.

Prof. Dr. Raimundo Martins de Lima

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Amazonas (1980), mestrado pela Universidade Federal da Paraíba (1998) e doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia da Universidade Federal do Amazonas (2014). É professor Adjunto, Nível I, do Departamento de Arquivologia e Biblioteconomia da Universidade Federal do Amazonas. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Biblioteconomia, e domínio particular sobre os seguintes temas: regulamentação, formação e ética profissional; biblioteca escolar; formação e desenvolvimento de coleções; e cidadania, emancipação e barbárie.

Profª Dra. Bianca Amaro de Melo


Possui doutorado em Lingüística Aplicada pela Universidade Pompeu Fabra (1998), formação em Direito e Letras, atuando principalmente nos seguintes temas: Comunicação Científica, Direitos Autorais e Acesso Aberto à comunicação científica. Coordenadora dos projetos de Acesso Aberto do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia. Coordenadora da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações - BDTD. Coordenadora do projeto Repositórios Institucionais de Acesso Aberto. Coordenadora do Diretório de Políticas de Acesso Aberto de Revistas Científicas Brasileiras - Diadorim. Coordenadora do Portal de Publicações Científicas em Acesso Aberto - oasisbr. Coordenadora do projeto Biblioteca Digital Brasileira - BDB. Membro do Comitê Diretor da Rede Federada de Repositórios Institucionais de Publicações Científicas - LA Referencia. Coordenadora do projeto Revistas Científicas Brasileiras de Acesso Aberto. Anteriormente foi coordenadora do Programa Prossiga. Coorganizadora das Conferências Luso-brasileiras de Acesso Aberto - Confoa, em conjunto com Portugal.

Profª Dra. Fatima Portela Cysne

Professora Adj. do Curso de Biblioteconomia do Campus Avançado da Universidade Federal do Ceará no Cariri desde março de 2010 e professosa aposentada da UFC (1981-2007). Doutora e Mestre em Educação, com curso de doutorado em Ciência da Informação pela Universidade de Brighton (Inglaterra), especialista em Tecnologia de Informação Aplicado ao Gerenciamento da Informação pela Universidade Federal do Ceará, com aperfeiçoamento em Administração de Bibliotecas pela UFV/ABEAS. Exerceu o cargo de Coordenadora eleita para o Curso de Biblioteconomia por dois mandatos e um ano como coordenadora interina. Atualmente está no cargo de vice-Coordenadora do Curso, foi mentora e é coordenadora do Curso de Especialização em Tecnologias da Informação e da Comunicação para o Gerenciamento da Informação (ETIGI) e Vice-Presidente da Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação. Apresenta considerável produção científica que inclui livro, capítulos de livros, artigos publicados em revistas e anais de eventos nacionais e internacionais e organização de coletâneas didática nas áreas de Biblioteconomia, Ciência da Informação, Didática e Metodologia da Pesquisa Científica. Ex-Presidente da Associação de Bibliotecários do Ceará por dois mandatos, Presidente de Honra do XX CBBD. Umas das vencedoras de duas competições de jovens pesquisadores para apresentar trabalho sobre Advanced Management: Lean production Systems no ICAM’95 (Sunderland, Inglaterra) e ICAM’96 (Bolonha, Itália) promovido pela União Européia. Recebeu prêmio da Embaixada Americana em 2002 para participar do Congresso da American Library Association em Atlanta (USA)






Conferências

Conferência 1: 

Conferência 2:

Conferência 3: 

Conferência 4

Conferência 5: 

Oficinas

Oficina 1: 

Oficina 2: 

Oficina 3: 

Oficina 4: 

Mesa Redonda

Minicurso:
Introdução aos ebooks para Bibliotecas

Informações 

Período: 06 a 08 de Maio de 2015


Horário: Integral

LocalHotel Caesar Business Manaus, 
Avenida Darcy Vargas, 654, 69050-020 Manaus




Fonte: Página de inscrição do Evento